Entenda melhor o que é #gamification

Na semana passada, o portal da Revista Proxxima publicou um Especial sobre Gamification. Foram ao todo 05 vídeo-reportagens  analisando o mercado de agências, clientes, redes sociais, universo mobile e startups.

pasta2.jpg

Como o tema é de grande relevância para as estratégias de marketing das marcas, nós achamos importante abordar também este tema, tão em voga ultimamente mas ainda visto com  desconfiança pelos empresários e gestores de marca.

Num primeiro momento é preciso entender melhor o conceito de Gamification, ou Gamificação, como alguns já chamam aqui em terras tupiniquins. É uma ferramenta de marketing relativamente nova por aqui, mas que nos Estados Unidos e em parte da Europa já é utilizada há quase 01 década, com resultados expressivos em engajamento e fidelidade de marca.

Gamification basicamente é utilizar as técnicas e elementos de design do mundo dos games para auxiliar empresas e marcas a resolverem problemas do mundo real. Mas como assim? Como os jogos de videogame podem ajudar as empresas e ainda divertir e engajar os usuários?

Vamos a um exemplo prático. Nike Plus. A lendária fabricante de tênis do Oregon – EUA, assistia atônita sua curvas de vendas estagnar e a concorrência deitar e rolar no mercado. É um problema e tanto, não acham? Pois é, depois de muitas pesquisas sobre hábitos de consumo de seus diversos públicos, o pessoal do marketing da Nike identificou que o filão de calçados de corrida estava em baixa. Posto isso, começou a procurar alternativas para criar laços mais fortes com este público e então; voilá! Que tal criar uma plataforma gamificada com estratégias de engajamento agressivas, desenvolvimento de um acessório para os tênis e um sistema que integra e categoriza todas as informações dos usuários, estimulando a prática da corrida com uma saudável dose de competitividade? Genial! Assim surgiu o produto revolucionário que tirou a Nike de uma grande encrenca.

É claro que Gamification não é sempre igual, porque os problemas e as necessidades não são sempre iguais, logo, não tem mistério, é preciso ter dados detalhados do consumidor, conhecer a fundo suas necessidades, gostos e hábitos. Enfim, o marketing tem que fazer a lição de casa. Outra coisa, Gamification não salva produtos e serviços ruins, e nem empresas que não aliam o discurso corporativo com a realidade das vendas.

Como nosso mercado é muito conservador ainda, temos poucos cases bem sucedidos utilizando estratégias gamificadas por aqui, mas a mindset já está começando a mudar e quanto mais debatermos e profissionalizarmos o mercado, em breve brotarão histórias de sucesso de marcas nacionais.

Mas voltando ao Especial da Proxxima, compilamos os vídeos abaixo para você poderem entender um pouco mais dessa promissora tendência do marketing digital.

Enjoy!

Posted on July 29, 2013 .